<$BlogRSDURL$>

quinta-feira, junho 15, 2006

X-Men: The Last Stand 


O fim do princípio
X-Men: O Confronto Final. Depois do sucesso da sequela, aí está a prequela da banda desenhada mítica dos X-men, com mortes, novos mutantes, mais poderes fantásticos e uma porta bem aberta. Apesar de alguns exageros, esta é uma aventura intensa, espectacular e com vários desfechos.

Se, por um lado, no terceiro X-Men não assistimos propriamente ao confronto final, já que se faz questão de deixar a porta para novas aventuras, algo que era esperado, as mortes de mutantes importantes na história constituem, aparentemente, desfechos.
Que mutantes morrem e em que circunstâncias? Isso convém descobrir mesmo no filme. Nos dois anteriores foi o realizador Brian Singer que tomou rédeas à transposição da BD para o ecrã e, diga-se, com sucesso, especialmente em X2. Agora, Singer optou por realizar o Regresso de Super-Homem – uma das estreias mais esperadas do ano –, ficando Brett Ratner (Dragão Vermelho) a realizar o filme.
Talvez por isso, peca pelo exagero criado nos poderes de alguns mutantes, a intriga impregnada de acontecimentos e na falta de peso emocional nas personagens. No entanto, o filme, com muita acção, efeitos especiais (com pontes a serem levantadas), entretém. A acção começa 20 anos antes da altura acompanhada, quando Xavier e Magneto eram companheiros e conheceram Jean, a Fénix – um dos X-Men que irá tornar-se instável com os seus poderes e fulcral na história.


Agora, uma “cura” para eliminar os poderes dos mutantes ameaça mudar o rumo da história. Magneto junta vários mutantes para combater o governo e eliminar quem não é dotado, enquanto Xavier recomenda tolerância.
Sobre os novos mutantes (vários) interessa destacar o Anjo. Sobre os antigos, a diminuição da presença, infelizmente, de Mystique e a preponderância de Storm (Hale Berry) nos X-Men, ao lado de Wolverine (Jackman).
O aumento de poder de Storm advém de dois factos, o primeiro é um evento na história (a ver), o outro é Halle Berry ter exigido que a sua personagem tivesse maior protagonismo para voltar a participar (algo que também parece não ter ajudado o filme...).

O filme aborda questões actuais como, se será legítimo utilizar um antídoto para tornar “normal” quem é diferente. Outra das questões mais pertinentes irá estar em Jean (Fénix), já que os seus poderes imensos tornam-se também em maldição. Existe aí uma actualidade pertinente e humana, já que talentosos ou dotados podem também sofrer com os seus dons, como, por exemplo, as crianças sobredotadas ou vedetas imediatas e sem intensão.

De resto, nota-se um amontoar de ideias grande. Mas, num filme que se propõe entreter, este, resulta, embora de forma superficial. Em várias sequências nota-se ainda a influência de Matrix e o estilo de Wolverine, que terá em breve um filme só para si, faz lembrar o Terminator – primeiro duro, depois meigo.

--
Class: 3/5
Realização: Brett Ratner
Com: Hugh Jackman, Patrick Stewart, Ian McKellen, Halle Berry, Famke Janssen, Anna Paquin, Rebecca Romijn, Kelsey Grammer, Vinnie Jones
Site oficial em português: X-Men: The Last Stand
Género: Acção/Ficção Científica/Thriller
Distribuição: Castello Lopes
Classificação: M/12
EUA, 2006
104 min.
Estreia em Portugal: 25 de Maio.




Mystique tem um papel mais reduzido


Comments:
Good work, very nice blog. Seems you enjoy working with/ on the internet. And
if something like that even pays off well, it would be even better, woulnd't it?

I chose you because you convinced meby all the effort you put into it. That
really convinced me.
For further information please look up my site www-franco.blogspot.com Please get more information
on....see the video!
 
Enviar um comentário

This page is powered by Blogger. Isn't yours?