<$BlogRSDURL$>

quinta-feira, junho 15, 2006

Sete filmes, sete vidas 

Sete mundos de crianças
Crianças Invisíveis. Sete curtas-metragens de cineastas com prestígio, trazem outras tantas histórias sobre crianças que vivem à margem das outras em locais diferentes do mundo, no dia da Criança. Entre o drama e a esperança é uma ideia tocante e brilhante.

João Tomé - in Destak (esta é uma versão aumentada)

Crianças sozinhas, que vivem com aquilo que a sociedade à sua volta lhes deu, neste caso, azares, problemas e independência, é este o assunto das sete curtas-metragens realizadas por sete cineastas. Entre o drama das injustiças e desesperos e a esperança, há momentos duros mas outros que fazem sorrir. Com armas ou bonecas na mão, a roubar ou a enganar, crianças são crianças, embora algumas tenham de crescer depressa demais e nem sempre nos melhores meios.
A ideia, que partiu da produtora italiana Chiara Tilesi, é brilhante, ainda mais enquadrada no Dia Mundial da Criança, que se comemora hoje. Os cineastas foram convidados a dar a sua perspectiva pessoal, e dos respectivos países sobre crianças invisíveis, aquelas cujas vidas passam ao lado de adultos e meios de comunicação em geral. Com o leque de realizadores de locais do planeta tão distintos, o resultado é tão rico de diversidade quanto emocionante e atractivo.

Os 7 mundos


(Tanza é o segundo a contar da esquerda)
Tanza
Somos convidados, primeiro, a viajar a África para ver a história de Tanza, que dá o nome à curta de Mehdi Charef (da Algéria). O jovem negro de 12 anos que viu a família morrer está num grupo de jovens lutadores pela liberdade que, empunhando armas, vivem numa indiferença com a morte.



Blue Gypsy
O bósnio Emir Kusturica traz-nos, da sua terra natal, Blue Gypsy, onde um jovem cigano que vive num animado centro de detenção juvenil tem sentimentos ambíguos na hora da libertação com medo de um pai violento e que o obriga a roubar.



Jesus Children of America

é o filme de Spike Lee, sobre uma adolescente mestiça de Brooklyn que descobre ser filha seropositiva de um casal de toxicodependentes – a prova de que as crianças podem ser cruéis umas para as outras.



Bilú e João
A realizadora brasileira Katia Lund mostra Bilú e João, os nomes de duas crianças empreendedoras a viver numa favela que tentam ganhar algum dinheiro reunindo metais e o cartão para vender num depósito.


Jonathan
O famoso inglês Ridley Scott juntou-se à filha Jordan para falar de Jonathan, um repórter fotográfico cuja necessidade escapar ao tormento das guerras o levam a regressar à infância.



Ciro
Stefano Venerusso é um italiano que trabalhou com Mel Gibson em A Paixão de Cristo e Scorcese em Gangues de Nova Iorque e traz Ciro, sobre um jovem a viver entre o crime (roubo) e as brincadeiras próprias da idade nos bairros pobres de Nápoles.


Song Song & Little Cat
Por fim, o chinês John Woo (Missão Impossível II) mostra a história de Song Song & Little Cat, um laço peculiar e tocante que se cria entre uma órfã sem dinheiro e uma criança da mesma idade rica mas perturbada. Talvez o melhor dos sete, surpreendente mesmo. A forma como aborda crianças com situações tão distintas mas, afinal, tão perto uma da outra, e como se desenvolve e culmina é extraordinário.

A viagem termina por aqui mas facilmente fica na cabeça de todos os que o viram. Infelizmente estreia, para já, apenas no UCI, em Lisboa, já que a distribuidora Vitória Filmes apenas quis fazer uma cópia.

--
Class: 4/5
Realização: Mehdu Charef, Emir Kusturica, Spike Lee, Katia Lund, Jordan e Ridley Scott, Stefano Veneruso e John Woo
Site oficial: All The Invisible Children

Género: Drama
Distribuição: Vitória Filme
Classificação: M/12
França/Itália, 2005
116 min
Estreia em Portugal: 1 de Junho 2006


Comments:
nice
http://www.skincareinfo.us/
 
nice


http://www.freeastrology.us
 
nice
http://exportersinfo.com
 
Enviar um comentário

This page is powered by Blogger. Isn't yours?